Siga nosso Instagram Siga nossa fanpage Siga nosso Twitter Siga nosso Youtube

O estado do Rio em suas mãos 

Sexta, 16 Março 2018 16:30

Belezas incríveis, emoções a flor da pele e tudo mais que você precisa saber sobre a famosa travessia Petrópolis x Teresópolis

Coluna
Travessia Petrópolis x Teresópolis Travessia Petrópolis x Teresópolis Destinos do Rio

Desde os meus 9 anos de idade eu me entranho nesses mares, matas e montanhas. Agora imagine eu há cerca de 20 anos indo realizar pela primeira vez essa fantástica travessia. Não deu outra.


Nos perdemos várias vezes durante o caminho. Muita neblina fechada, chuva o tempo todo e muitos outros acontecimento nos obrigaram a desistir na metade do segundo dia. Afinal, não fomos com ninguém que já havia feito o caminho, nenhum guia de local. Mas o problema não foi exatamente esse, pois 'os avançados' de montanha conseguem sem nenhum problema realizar a travessia mesmo sem um guia de local.

Uma espécie de trilha de migalhas de pão

Todo o caminho é muito bem apontado e sinalizado com "Totens de Pedra". Como uma espécie de trilha de migalhas de pão. Mas para você poder usar essa "trilha de totens" é necessário que o clima esteja claro e sem neblina fechada, porque no contrário não conseguirá ver onde está o próximo Totem. Foi o que aconteceu com a nossa equipe nesta primeira vez. Muita chuva forte e neblina durante todos os dias da travessia. Este clima nos possibilitava apenas um alcance de visão de no máximo 4 ou 5 metros, sendo que a distância entre um totem e outro pode variar de 25m a 200m, ou até ainda mais distante. Achávamos o próximo token praticamente usando intuição e técnica.

Uma das travessias mais belas do mundo

Atualmente aos 44 anos acumulei quase uma dezena de vezes que realizei esta travessia com sucesso e continuo afirmando: é uma das travessias mais belas do mundo, longa porém fácil, que passa por riachos, cristas de montanha, topos de montanhas especiais, vales floridos e ainda com a visão contínua de praticamente todo o lado leste do estado do Rio de Janeiro. Aos 2000 mil metros de altura em média é possível ver da Ilha Grande na Costa Verde até Arraial do Cabo na Costa Azul do estado do Rio de Janeiro.

Agora que você sabe que não deve ir para a travessia sem ter conhecimentos avançados em trilhas, o melhor a fazer é ler com muita atenção este meu artigo e procurar um grupo ou contratar um guia para seu grupo particular. Eu pessoalmente guio e realizo periodicamente saídas de grupos para a travessia. Você pode entrar em contato por aqui e solicitar mais informações sobre as nossas próximas aventuras.

3 dias por vales e cristas das montanhas

Antes de qualquer coisa é necessário saber que a travessia Petrópolis x Teresópolis é uma caminhada que em média dura 03 dias pelas cristas das montanhas e vales de toda a cadeia de montanha da Serra dos Órgãos. Toda a serra está sob controle e gestão do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, que possui entradas nos municípios de Petrópolis, Teresópolis e Guapimirim. Tais municípios cercam a Serra dos Órgãos.

A maioria dos grupos realizam esta travessia no sentido Petropolis para Teresópolis, pois neste sentido tudo fica bem mais fácil. Então vamos lá!

Tudo começa no bairro de Corrêas em Petrópolis

Tudo começa no município de Petrópolis, mais precisamente no bairro de Corrêas. Lá você encontra a entrada de Petrópolis do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Mas não vá pensando que é só chegar no centro de Corrêas e pronto. Não é bem assim. Do centro de Corrêas até a entrada do Parque, a pé, são cerca de 1,5 horas de caminhada por estrada de paralelepípedos e de chão de barro. Então se a pé leva 1,5 horas, de carro é possível fazer em uns 20 minutos. Mas não faz sentido algum iniciar uma travessia de carro, a não ser que você deixe o carro no outro lado da travessia em Teresópolis, volte de ônibus para Petrópolis e inicie sua travessia. Esta é uma boa opção para os que gostam de "paz interior" ao chegar do outro lado após 03 dias de muito suor, exaustão e topos de montanhas.

Logo ao chegar na entrada do parque em Corrêas, o administrador local solicitará o preenchimento da ficha de cadastro da equipe e o pagamento das taxas de entrada por cada integrante de seu grupo.

Para resumir tudo num parágrafo, imagine o seguinte: seu grupo iniciará uma travessia que passa por cima das montanhas e que vai interligar duas cidades, Petrópolis e Teresópolis. Levando em consideração que o ponto culminante do lado de Petrópolis é o pico "Castelos do Açu" com 2.200 metros de altura e o ponto culminate do lado de Teresópolis é a montanha "Pedra do Sino" com 2.275 metro de altitude, você terá como objetivo de primeiro dia, alcançar o topo da montanha "Castelos do Açu" (Petrópolis) e realizar o pernoite, para que então no segundo dia seu grupo possa seguir para a Pedra do Sino (Teresópolis). No terceiro dia, inicia a descida para Teresópolis.

Alcançar os Castelos do Açu é o objetivo do primeiro dia

Da entrada do parque para o topo da primeira montanha em Petrópolis, os Castelos do Açu, a caminhada leva em torno de 5 a 7 horas e você poderá considerar que esse é o número médio de horas que seu grupo irá caminhar diariamente durante os 3 dias de travessia. A subida passa por 1 ponto de coleta de água, que é um pequeno riacho que fica a pouco menos de 1h dos Castelos do Açu. O tempo da portaria do parque até esse primeiro riacho é de aproximadamente 4 horas, portanto levem muita água.

Cabe ressaltar que bem no inicio da trilha (uns 30 minutos de caminhada) você poderá conhecer a Cachoeira Véu da Noiva. Mas para conhecer, seu grupo deverá sair um pouco da trilha para os Castelos do Açu. Existem muitas placas no inicio da trilha, na região ainda baixa do Parque em Petrópolis. Durante a travessia não há placas de sinalização, apenas existem os Totens.

Chegando nos Castelos do Açu, você encontrará um abrigo para montanhistas. Cabe neste momento um belo pernoite e curtir a redondeza. Os Castelos do Açu são gigantescos blocos de pedra, que amontoados fazem parecer um castelo de topo de montanha, que tem até uma caverna por entre as pedras. Vale além de conhecer as redondezas, conhecer também o interior e o topo deste imenso amontoado de gigantescas rochas. No topo é como se você estivesse em um mirante de 2200 metros de altura com visão de 360 graus de todo o estado do Rio de Janeiro.

Segundo dia: agora sim vamos iniciar a travessia. 

Pronto, o grupo acordou de seu primeiro pernoite nos Castelos do Açu e partiu próximo destino: Pedra do Sino. Lá dos Castelos do Açu já é possível ver bem ao longe o topo da Pedra do Sino. Mas também é possível perceber que até lá serão necessários descer e subir 3 ou 4 vales, porque entre sua posição atual até a Pedra do Sino em Teresópolis, existem 3 ou 4 montanhas pelo caminho. Então se prepare, porque é exatamente este trecho que é a famosa travessia. Afinal você poderia não realizar a travessia e descer dali mesmo. Mesmo assim continuaria tendo sido uma bela e extraordinária aventura.

Agora iniciou-se verdadeiramente a travessia. Durante o trecho dos Castelos do Açu até a Pedra do Sino seu grupo descerá e subirá por diversos vales. Esses vales são encantadores e também assustadores. Pois a maioria dos trechos do trajeto são relativamente fáceis, porém todos são de difícil equilíbrio e controle mental. Existe durante a travessia duas fases que digamos que são as mais sensíveis em relação à dificuldade emocional. Seriam elas: A escada de ferro e a subida final da encosta da Pedra do Sino.

A famosa, fácil e assustadora escada de vergalhões

A escada de ferro trata-se de uma escada com degraus de vergalhões cravados em uma parede de rocha de 90 graus e que tem aproximadamente uns 20 metros de altura. Parece fácil, mais a parede de rocha é de 90 graus e a distancia entre os vergalhões são muito grandes. Além disso não se trata de degraus convencionais. Trata-se de vergalhões cravados na rocha, como degraus, com quase 1 metro de distância entre um e outro. Neste momento, dependendo do tamanho do grupo, pode-se demorar horas para que todos subam a escada. Sugiro que vá um de cada vez. A não ser que tenham equipamentos de escalada para prender nos degraus. No contrário se um cair, todos caem.

Vale das abelhas e ponte de pedra

Passado a escada, o próximo destino é continuar a caminhada para o topo da Pedra do Sino. Lembre-se que pelo caminho existem Totens de Pedra que guiam os "perdidos". Neste trecho você passa pelo "Vale das Abelhas Negras", que todos vão passar sem problemas. Também vão passar pela "Ponte de Pedra", que é uma enorme pedra deitada de uns 100 metros, que parece uma ponte natural, com queda livre por ambos os lados. Se durante todo o trajeto olhar para direita, verá que a Bahia de Guanabara estará lá embaixo o tempo todo, além de toda a costa marítima do estado do Rio de Janeiro.

A subida final: uma fenda relativamente fácil, mas de difícil controle emocional

Pronto, neste momento você alcançou o inicio da última investida. A famosa escalaminhada para o topo da Pedra do Sino. Este trecho é considerado bem perigoso, porém não é difícil. Caso não haja pessoas capacitadas tecnicamente e mentalmente para tal trecho de escalaminhada, deve-se então ter equipamentos de segurança em escalada. O grupo irá subir uma fenda de aproximadamente uns 100 metros de altura, passando por pequenas fendas, grutas, escalaminhadas e trepa-pedras. O problema é que durante todos os eventos deste trecho, você terá a ilustre companhia de um belo precipício bem tonteante. 

Pedra do Sino está a 2275 metros de altitude

Mas enfim você chegou no topo da Pedra do Sino. Agora é só curtir e assistir ao espetáculo do por do sol, o silêncio barulhento da geografia de Deus e sua fauna e flora. De lá é possível ver mais de 1 dúzia de cidades, topos de montanhas que estão lá embaixo (como o Dedo de Deus) além de toda a Bahia de Guanabara e Ilha de Paquetá. Não podemos esquecer que é possível em dias nítidos, ter um alcance de visão de Angra dos Reis a Arraial do Cabo.

A temperatura pode cair de 10 graus positivos para 2 graus negativos em pontos minutos

Quando o sol baixar é necessário iniciar a descida para o abrigo 4 imediatamente. Nesta hora a temperatura pode cair radicalmente e muito rápido. Para ter um bom exemplo, com a presença ainda do Sol a temperatura poderá estar em 10 graus e no momento que ele descer, se por, a temperatura cai em 10 minutos para 02 graus. Então logo após o por do sol é necessário descer imediatamente para o Abrigo que fica cerca de 30 minutos na trilha de descida. É neste abrigo que será realizado o segundo pernoite. Neste abrigo existe banho quente e local para montar barracas ou dormir dentro do abrigo em sacos de dormir.

O terceiro dia é só descida para Teresópolis

No terceiro dia é acordar no abrigo 4, tomar aquele café quente e iniciar a descida até Teresópolis. Com cerca de 5 horas de caminhada de descida, o grupo alcançará a entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos em Teresópolis. No caminho existem várias cachoeiras e a maioria do caminho é ao cenário de floresta fechada.

Jamais esqueça nenhum dos ítens abaixo

  • Levar 4 litros de água (duas bigcokes) por integrante;
  • Levar alimentos leves e rápidos (salgados e doces) para o caminho e com carga elevada de nutrientes (exemplo: barras de cereal, bananadas, balas, amendoim, grãos, etc);
  • Levar 6 sacos de macarrão instantâneo;
  • Levar sal e açucar (para cozinhar e usar no caso emergência de baixa pressão arterial);
  • Levar remédios importantes pessoais e também antialérgico;
  • Levar telefone celular totalmente carregado e desligado e bem protegido em sacos plásticos;
  • 1 casaco principal e 1 casado fino secundário (para uso simultâneo);
  • 1 calça principal e 1 calça secundário (para uso simultâneo);
  • Kit de 2 camisetas e roupas intimas;
  • Toalha (cachoeiras);
  • Boné;
  • Saco de dormir;
  • Isolante térmico;
  • Protetor solar;
  • Sacos plásticos extras (para os pés, lixo e outros);
  • Equipamento para cozinhar (panelinha, fogareiro e fósforos protegidos contra água).

Informações adicionais

  • Altitude: Altura máxima na Pedra do Sino (2263m)
  • Nível de dificuldade: Semi técnica (trilha pesada com trechos de escalaminhada)
  • Duração: 3 dias

Siga-nos aqui

  Instagram

  Facebook

  Twitter

  Fale conosco

Luciano Azevedo

"Integrando a comunicação
no estado do Rio de Janeiro"

         - Luciano Azevedo (fundador)

Leia o editorial

Amigos colaborativos

Conheça as prefeituras, projetos, empresas, instituições, agencias e assessorias que colaboram diretamente conosco: